Energia solar no Rio Grande do Sul

A energia solar no Rio Grande do Sul têm crescido a cada ano, fazendo o estado ocupar a segunda colocação no país em potência instalada.

Neste texto, vamos mostrar quais as condições para a geração de energia solar fotovoltaica aqui no estado, qual a participação que possuímos nessa fonte e porque somos um dos principais geradores de energia solar na geração distribuída.

As condições para gerar energia solar no Rio Grande do Sul

É natural imaginar que o nordeste tenha melhores condições para a geração de eletricidade a partir da luz solar, mas na realidade essas diferenças pro sul do país são quase inexistentes.

Enquanto a região nordeste apresenta uma radiação global média de 5,9 Kwh/m², a região sul possui uma radiação global média de 5,2 Kwh/m². Uma diferença de apenas 0,7 Kwh/m² entre as duas regiões.

Saiba mais: o que é radiação solar e o que tem a ver com energia solar

Para que fique mais claro, ressaltamos um exemplo muito interessante: o  pior local do Brasil para a geração solar fotovoltaica é melhor que o melhor local da Alemanha. Sendo que a Alemanha é um dos líderes mundiais na geração solar fotovoltaica.

Ou seja, os índices de irradiação solar impactam no potencial de geração de energia, mas existem outros fatores relevantes, como a temperatura!

Um dos motivos que fazem as pessoas acharem que o Rio Grande do Sul não é o melhor local para a geração de energia solar é devido justamente às baixas temperaturas apresentadas no estado. Mas a geração de energia solar fotovoltaica não se dá pelo calor.

Pelo contrário, as placas fotovoltaicas são produzidas para possuir melhor rendimento em 25º Celsius. A partir disso, quanto mais alta a temperatura, menor o rendimento do seu sistema fotovoltaico. Essa temperatura média, por exemplo, é muito mais comum no Rio Grande do Sul do que nos estados do nordeste brasileiro.   

Leia também: Saiba como funciona as placas solares!

A energia solar no Rio Grande do Sul é referência nacional!

A energia solar pode ser gerada a partir de grandes usinas, mas também de pequenos sistemas conectados à rede elétrica instalados pelos próprios consumidores finais de energia.

Isso se chama geração distribuída, e é permitido desde 2012, com a resolução normativa nº 482 da ANEEL que regula esse tipo de geração de energia.

Leia também: Saiba o que é a geração distribuída e como ela funciona!

Em relação a geração de grandes usinas, conhecida como geração centralizada, os estados do nordeste são os maiores geradores de energia solar. A maior usina solar fotovoltaica está localizada no estado do Piauí e a segunda e terceira maior usina estão na Bahia.

Mas quando falamos na geração distribuída, o Rio Grande do Sul é referência nacional, junto com o estado de Minas Gerais.

Minas Gerais possui cerca de 24 mil sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica, com uma potência instalada de quase 230 MW. O Rio Grande do Sul possui quase 16 mil sistemas, totalizando aproximadamente 180 MW. Após os dois estados aparece São Paulo, com 141,6 MW instalado de potência na geração distribuída.

Qual o motivo para essa posição de destaque?

Essa posição de destaque do Rio Grande do Sul na geração distribuída de energia solar pode ser atribuída a diversos fatores.

Um dos fatores para que a geração própria de energia seja mais vantajoso em um lugar em detrimento à outro é o valor da tarifa de energia cobrado. Quanto maior a tarifa de energia, mais compensa investir na geração própria de energia a partir de um sistema fotovoltaico.

Outro fator é o desenvolvimento econômico do estado e seu perfil empreendedor. O Rio Grande do Sul possui uma população bastante empreendedora, o que se verifica pelo número de empresas atuando com energia solar e os empresários de outros setores que estão investindo na instalação de energia solar em seus negócios.

Além, é claro, da consciência ambiental da população e de iniciativas públicas. O Rio Grande do Sul isentou o ICMS sobre a geração distribuída, conforme sugerido pelo Conselho Nacional de Políticas Fazendárias (CONFAZ). Porém, atualmente todos os estados já tomaram a mesma iniciativa e diversos também estão investindo em políticas de incentivo a energia solar.

Clique aqui e baixe agora mesmo o Guia do Conforto Térmico: sua família protegida em todas as estações do ano sem aumentar a sua conta de luz!

Invista em energia solar!

Dezenas de milhares de pessoas já se beneficiam diretamente da energia solar no Rio Grande do Sul, a partir de suas próprias iniciativas de instalar um sistema fotovoltaico em suas casas ou estabelecimentos.

Leia também: Veja como Félix reduziu sua conta de luz em 92%

Optar por gerar a eletricidade de sua residência ou negócio com energia solar significa uma redução drástica e imediata na conta de luz, um investimento altamente lucrativo a médio e longo prazo, além de todo impacto ambiental positivo com a geração de uma energia limpa e renovável.

Quer saber mais sobre energia solar? Baixe nossa Cartilha da Energia Solar e saiba tudo que você precisa para gerar sua própria energia!        

  • Podemos crescer ainda mais, se tivermos alguns programas de incentivo, como o Governo Estadual de Minas Gerais, de Goiás, do Mato Grosso e de Santa Catarina tem feito, a energia solar fotovoltaica ocupará cada vez mais um lugar de destaque na matriz energética do Rio Grande do Sul.

  • A energia solar e a eolica são as energias do presente e do futuro, a natureza garante as fontes de energia sem agredir o meio ambiente. Preservar e manter a mãe terra é fundamental !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *