As perspectivas para a energia solar no mundo

A energia solar é uma novidade para nós brasileiros, mas em alguns países essa tecnologia está mais desenvolvida, como na China, Estados Unidos, Japão e Alemanha. Esse desenvolvimento começou nas décadas de 80 e 90, quando houve um maior investimento em programas de financiamento e de demonstração, motivados sobretudo pela consciência crescente da ameaça das alterações climáticas devido à queima de combustíveis fósseis. Exemplos destas iniciativas são a instalação da primeira central solar de grande envergadura (1 MWp) na Califórnia, em 1982, e o lançamento dos programas de “telhados solares” na Alemanha (1990) e no Japão (1993) [1].
Atualmente a energia solar segue em uma crescente no mundo todo. Somente em 2016 foram adicionados 75 GW em geração solar fotovoltaica, sendo 35 GW injetados apenas pela China [2]. No Brasil, o surgimento da geração solar fotovoltaica se dá com a criação da resolução normativa nº 482/2012 [3] que permite a conexão de micro e mini geração na rede elétrica. Criando um mercado para o desenvolvimento da energia solar fotovoltaica, que é a fonte mais adequada para esse tipo de geração.

 

E o futuro? O que podemos esperar da energia solar para os próximos anos? Tudo nos leva a crer que o futuro da energia no mundo é solar. Nesse artigo vamos apresentar os indicativos que comprovam porque a energia solar vai ser a principal fonte de energia no mundo todo, vamos a eles!

Mudanças Climáticas

Como descrito no início do artigo, o desenvolvimento da energia solar surgiu com a consciência crescente da ameaça das alterações climáticas provocadas pela queima de combustíveis fósseis. O setor de geração de energia é um dos grandes responsáveis pela emissão de gases do efeito estufa, pois a maior parte de sua geração é térmica, utilizando o carvão mineral como principal combustível.
A preocupação com as mudanças climáticas não diminuíram, pelo contrário, o aumento da temperatura média global e suas consequências tem sido uma recorrente preocupação de diversos países que se comprometeram em reduzir suas emissões de gases do efeito estufa. Um total de 92 países já ratificaram o Acordo de Paris, entre eles Brasil, China e Estados Unidos. O Brasil assumiu o compromisso de reduzir as emissões de gases do efeito estufa em 37% até 2025 e 43% até 2030 [4].

Veículos Elétricos

Outro grande vilão das mudanças climáticas são os veículos automotores, que emitem uma grande quantia de gases do efeito estufa por utilizarem combustíveis derivados do petróleo, como a gasolina e o diesel. Para cumprir seus compromissos com o Acordo de Paris, diversos países da união europeia estão proibindo a produção e a circulação de veículos que utilizam combustíveis fósseis. O Reino Unido, por exemplo, anunciou um plano para proibir a venda de veículos movidos a combustíveis fósseis até 2040 e a proibição de circulação desses veículos em 2050 [5].

Entretanto, não adianta proibir veículos movidos a combustíveis fósseis e incentivar a utilização de carros elétricos, se a matriz elétrica continuar sendo majoritariamente de combustíveis fósseis. Por tanto, a tendência é que os veículos elétricos sejam abastecidos com fontes renováveis, principalmente com a solar fotovoltaica.

A energia mais barata

Apesar da grande preocupação com as questões ambientais, o principal fator para a escolha da fonte para a geração de energia ainda é o seu custo. Um dos grandes empecilhos para a disseminação da energia solar fotovoltaica no Brasil e no mundo era seu alto custo. Porém, os valores dos equipamentos do sistema solar fotovoltaico sofreram uma grande redução e a energia solar fotovoltaica já é mais barata, ao menos, que os combustíveis fósseis [6] e tende a ser a fonte mais barata para a geração de energia [7].

Mesmo que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não acredite no aquecimento global e diga que irá incentivar a utilização de combustíveis fósseis [8], a energia solar continuará seu crescimento nos Estados Unidos e no mundo. Além do que a energia solar é uma grande geradora de emprego, sendo responsável por 80% dos empregos em renováveis no mundo [9] e, em 2016, um em cada 50 novos empregos nos Estados Unidos foi gerado pelo sistema solar fotovoltaico [10].

Armazenamento de energia e maior eficiência das células fotovoltaicas

Além das questões ambientais e da redução de seu preço, o desenvolvimento de novas tecnologias, como baterias e módulos cada vez mais eficientes fazem com que a energia solar seja cada vez mais utilizada. Hoje em dia, a maioria dos sistemas solares fotovoltaicos são conectados à rede elétrica. Isso porque as baterias para o armazenamento de energia ainda são caras e possuem uma baixa durabilidade. Porém, algumas empresas como a Tesla [11] e a BYD [12] já estão desenvolvendo baterias de lítio cada vez mais baratas e duráveis para serem utilizados em veículos elétricos e também para abastecer o consumo de residências.

Mas não só as baterias estão mais desenvolvidas, as células solares fotovoltaicos também estão tendo uma eficiência cada vez melhor. Os módulos utilizados atualmente no mercado possuem células com uma eficiência em torno de 16%, mas pesquisadores da Universidade de Delaware, nos Estados Unidos, conseguiram bater o recorde de eficiência energética das células solares cristalinas, atingindo um rendimento de 42,8% de conversão sob condições normais de iluminação [13].
A tendência é que em alguns anos essas inovações tecnológicas cheguem ao mercado e façam com que a energia solar seja cada vez mais acessível a todos. Mas você não precisa esperar para gerar sua própria energia com um sistema solar fotovoltaico. Peça um orçamento gratuito com a Incentive Solar e faça parte desse futuro agora mesmo!
Veja também algumas das vantagens da Energia Solar Fotovoltaica para residências!
Para saber mais sobre Energia Solar Fotovoltaica, baixe nosso Guia Básico!
.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *